Você também pode participar. Poste no Face do Jornal DeBolso (AmigosdoJornalDeBolso) e aguarde publicação.
José Maria
de Carvalho
(Caratinga-MG)

Mônica
Xavier
(Ipatinga-MG)

Tiago
Magalhães
(Juiz de Fora)

Wires Felix
de Souza

(Campo Grande-RJ)
Jairo
Fonseca

(Juiz de Fora-MG)
Joséllio
Carvalho

(Ipanema-MG)
Luiz
Henrique

(Ipanema-MG)
Quinho
Cartunista

(BH-MG)
Ronaldão
da Nova FM

(Manhuaçu-MG)
Wellingtons
Callaça

(Ipanema-MG)
Theyla
Sabrina

(São Paulo-SP)
Elizângela
Garcia

(Ipanema-MG)
Fernando
-Banco do Brasil-

(Ipanema-MG)

 


O conteúdo desta página requer uma versão mais recente do Adobe Flash Player.

Obter Adobe Flash player

Fernando Henrique faz críticas aos governos sulaamericanos
E fala das manifestações que estão acontecendo pelo país

Fernando Henrique Cardoso já foi colega de Lula em tempos idos, quando comungavam das mesmas ideias e ideais. O tempo passou, Fernando Henrique foi presidente da República e lançou uma nova moeda e o Bolsa Escola. Veio o Lula e também chegou à presidência, tal como FHC, por dois mandatos. Aproveitou o projeto de FHC e lançou um monte de bolsas (do gás, família e outras...) com o visível fim de amealhar votos nas eleições quqe se aproximavam...
Mas, o que restou dessa amizade antiga? Na verdade, acho que nada restou a não ser as farpas que volta e meia um deles solta contra o outro.
Na minha opinião, Fernando Henrique é mais pé no chão, mais consciente; Lula nem tanto. É um cara inteligente que soube manipular o que tinha em mãos (dizem que ainda tem) mas não soube administrar a coisa quando ela desandou. Foram muitas denúncias de muitas irregularidades, muita sujeira querendo ser jogada para debeaixo dos tapetes do palácio onde ficou por oito anos. E dizer que não sabia de nada é uma afronta à inteligência do povo brasileiro.
Fernando Henrique publicou esta semana o texto que passo para vocês... Acompanhem...

***

"Sem complacência"

As notícias da semana que terminou não foram auspiciosas, nem no plano internacional, nem no local. Uma decisão da Corte Suprema da Argentina, sob forte pressão do governo, sancionou uma lei que regula a concessão de meios de comunicação. Em tese, nada de extraordinário haveria em fazê-lo. No caso, entretanto, trata-se de medida tomada especificamente contra o grupo que controla o jornal El Clarín, ferrenho adversário do kirschnerismo. Cerceou um grupo de comunicação opositor ao governo, sob pretexto de assegurar pluralidade nas normas de concessão. Há, contudo, tratamento privilegiado para o Estado e para as empresas amigas do governo.
Da Venezuela, vem-nos uma patuscada incrível: as cidades do país apareceram cobertas de cartazes contra a “trilogia do mal”, ou seja, os principais líderes opositores, aos quais se debitam as falências do governo! Seria por causa deles que há desabastecimento, falta de energia e crise de divisas, além da inflação. Tudo para incitar ódio popular aos adversários políticos do governo, apresentando-os como inimigos do povo.
O lamentável é que os governos democráticos da região assistem a tudo isso como se fosse normal e como se as eleições majoritárias, ainda que com acusações de fraudes, fossem suficientes para dar o passaporte democrático a regimes que são coveiros das liberdades.
No Brasil, também há sinais preocupantes. Às manifestações espontâneas de junho se têm seguido demonstrações de violência, desconectadas dos anseios populares, que paralisam a vida de milhões de pessoas nas grandes cidades. A essas se somam às vezes atos violentos da própria polícia. Com isso, se deixa de ressaltar que nem toda ação coercitiva da polícia ultrapassa as regras da democracia. Pelo contrário, se nas democracias não houver autoridade legítima que coíba os abusos, esses minam a crença do povo na eficácia do regime e preparam o terreno para aventuras demagógicas de tipo autoritário.
Temos assistido ao encolhimento do Estado diante da fúria de vândalos, aos quais aderem agora facções do crime organizado. Por isso é de lamentar que o Secretário Geral da Presidência se lamurie pedindo mais “diálogo” com os Black Blocs, como se eles ecoassem as reivindicações populares. Não: eles expressam explosões de violência anárquica desconectada de valores democráticos, uma espécie de magma de direita, ao estilo dos movimentos que existiram no passado no Japão e na Alemanha pós nazista.
Estes atos vandálicos dão vazão de modo irracional ao mal estar que se encontra disseminado, principalmente nas grandes cidades, como produto da insensatez da ocupação do espaço urbano com pouca ou nenhuma infraestrutura e baixa qualidade de vida para uma aglomeração de pessoas em rápido crescimento. O acesso caótico aos transportes, o abastecimento de água deficiente e a rede de serviços (educação, saúde e segurança) insuficiente não atendem as crescentes demandas da população. Sem mencionar que a corrupção escancarada irrita o povo. Não é de estranhar que conectados aos meios de comunicação, que tudo informam, os cidadãos queiram dispor de serviços de países avançados ou de padrão FIFA, como dizem. Sendo assim, mesmo que a situação de emprego e salário não seja ruim, a qualidade de vida é insatisfatória. Quando, ainda por cima, a propaganda do governo apresenta um mundo de conto da Carochinha e o cotidiano é outro, muito mais pesado, explicam-se as manifestações, mas não se justificam os vandalismos.
Menos ainda quando o crime organizado se aproveita deste clima para esparramar terror e coagir as autoridades a não fazer o que deve ser feito. Estas precisam assumir suas responsabilidades e atuar construtivamente. É necessário dialogar com as manifestações espontâneas, conectadas pela internet, e dar respostas às questões de fundo que dão motivos aos protestos. A percepção de onde o calo aperta pode sair do diálogo, mas as soluções dependem da seriedade, da competência técnica, do apoio político e da visão dos agentes públicos.
Os governos petistas puseram em marcha uma estratégia de alto rendimento econômico e político imediato, mas com pernas curtas e efeitos colaterais negativos a prazo mais longo. O futuro chegou, na esteira da falta de investimento em infraestrutura, do estímulo à compra de carros, do incentivo ao consumo de gasolina, em detrimento do etanol, e do gasto das famílias via crédito fácil, empurrado pela Caixa Econômica Federal. Os reflexos aparecem nas grandes cidades pelo país afora: congestionamentos, transporte público deficiente, aumento do nível de poluição atmosférica, etc.
De repente caiu a ficha do governo: tudo pela infraestrutura, na base da improvisação e da irresponsabilidade fiscal. Primeiro o governo federal subtraiu receitas de Estados e municípios para cobrir de incentivos a produção e compra de carros. Depois, em vista do “caos urbano” e da proximidade das eleições, afagou governadores e prefeitos permitindo-lhes a contratação de novos empréstimos, sobretudo para gastos em infraestrutura. A mão que os afaga, é a mesma que apedreja a Lei de Responsabilidade Fiscal, ferida gravemente pela destruição de uma de suas cláusulas pétreas: a vedação ao refinanciamento de dívidas dentro do setor público. Mais uma medida, esta especialmente funesta, que alegra o presente e compromete o futuro.
Não haverá solução isolada e pontual para os problemas que o país atravessa e as grandes cidades sentem mais do que quaisquer outras. Os problemas estão interconectados, assim como as manifestações e demandas. Não basta melhor infraestrutura, se o crime organizado continua a campear, nem mais hospitais e escolas se a qualidade da saúde e da educação não melhoram. As soluções terão de ser iluminadas por uma visão nova do que queremos para o Brasil. Precisamos propor um futuro não apenas materialmente mais rico, mas mais decente e de melhor qualidade humana. Quem sabe assim possamos devolver aos jovens e a todos nós causas dignas de serem aceitas, que sirvam como antídoto aos impulsos vândalos e à complacência com eles.
" (Por Fernando Henrique Cardoso, em 03/11/2013)

Médicos cubanos no Brasil: Falso ou verdadeiro?
Vão ganhar R$ 10 mil e só recebem R$ 1 mil. E o restante?

É sabido que o governo brasileiro está importando médicos cubanos para trabalhar no Brasil em áreas ditas de extrema necessidade. A pergunta que se faz a todo momento é "com tantos médicos no país tem-se que trazer estrangeiros para cá? E pagando R$ 10 mil por mês...
Um médico brasileiro, se ganhasse esse salário, de verdade, e tivesse condições de trabalho, locais onde realizar exames, equipamentos para realizar cirurgias, acomodações dignas e prédios decentes para tudo isso, com certeza se disporia a ir para qualquer canto do Brasil.
Mas, para trabalhar como funcionário do governo tem que ganhar cerca de dois a três mil reais mensais e, muitas das vezes, tem que comprar, do seu bolso, até gase e remédios para pacientes que não tem o mínimo para sobreviver e muito menos para comprar remédios...
Aí vem a "grande solução" que foi importar médicos que são formados, popularmente chamados de "enfermeiros melhorados", em Cuba.
Mas, como foi feito esse acordo com os partidários de Fidel Castro? Como foi o acordo entre os dois países para que os cubanos viessem para cá ganhando o que não se paga a um médico aqui no Brasil?
Foi assim: Para que Cuba "ceda" estes médicos os governos dos países simpatizantes ao regime precisam pagar uma certa quantia ao regime de Fidel, ou seja, é uma forma de financiar a elite do regime ditatorial de Cuba, que não tem outras formas de obter recursos em dólar. Em resumo, os "médicos internacionalistas" cubanos são uma espécie de mão de obra escrava cedida na forma de mercadoria. Após dois anos de prestação de serviços em outros países devem voltar a Cuba. Para garantir isto, suas famílias são mantidas em Cuba como reféns.
Para todo cidadão de Cuba qualquer oportunidade para sair da ilha presídio é uma chance de ouro. Qualquer remuneração ou estilo de vida é melhor do que podem levar em Cuba. O salário de um médico em Cuba é equivalente a 20,00 dólares, pouco mais do que 40,00 reais.
O mundo inteiro sabe que Cuba exporta escravos para trabalhar em outros países. O esquema é simples. O profissional recebe um salário de fome no país onde trabalha, enquanto o governo paga a diferença diretamente aos Castro. É o que acontece na Venezuela. É o que vai acontecer no Brasil, com a importação de médicos cubanos. Cuba não faz caridade. Cuba é o mais capitalista dos países na hora de usar seres humanos como escravos para suprir os seus problemas de caixa.
A mecânica é simples, como no exemplo do que acontece na Venezuela: o governo cubano cobra U$ 11,4 mil por mês por médico cedido ao governo venezuelano. No entanto, estes médicos recebem apenas U$ 230 mensais na Venezuela, mais uma ajuda de U$ 46 dólares para a família, paga diretamente em Cuba. São 45 mil médicos que geram uma receita anual para a ditadura dos Castro de cerca de U$ 4,5 bilhões por ano. Se fosse no Brasil, ao dólar de hoje, cada médico cubano custaria cerca de R$ 23 mil mensais, mas ficaria com o equivalente a um salário mínimo por mês.
Todo país que se presa possui uma prova de Revalidação de Diploma para médicos estrangeiros que queiram atuar no país, no Brasil esta prova se chama Revalida, que é uma prova de conhecimentos mínimos. Menos de 11% dos médicos cubanos conseguem ser aprovados nesta prova. Dos 182 médicos formados em Cuba, que fizeram o Exame Nacional de Revalidação de Diplomas Médicos em 2012, apenas 20 (10,98%) foram aprovados. São o pior grupo. Dos 26 não cubanos de língua espanhola, foram aprovados cinco (19,15%); Dos oito portugueses foram aprovados três (37%)... Faltam Médicos no Brasil?
Deu para entender como funciona a coisa? Pois é, é assim que nosso país está sendo governado. Para nossos médicos migalhas, para os cubanos internacionalistas (sic) R$ 10 mil, que nunca verão em seus bolsos pois, como disse um deles em reportagem em rede nacional de TV, eles ficarão com R$ 1 mil e o restante o governo brasileiro envia diretamente para o governo cubano.
Será que nossos políticos não atentam que isso é escravidão descarada e escancarada? Será que vamos ajudar a um regime ditatorial e escravagista abusando do ser humano como está sendo feito? E a competência dessa gente? Será que está a altura do cidadão brasileiro?
E, para culminar, mandam para o Congresso uma medida provisória dando poderes ao ministro da Saúde para emitir parecer e autorizar a prática da medicina, tirando esse poder dos Conselhos de Medicina do país. Isso é democrático? Não estão querendo implantar algo parecido ao que existe na Venezuela e em Cuba? Tomara que isso nunca aconteça.

Cor da pele, por ser um assunto polêmico, é difícil falar
Mas muita gente fala e fala muita besteira
!

Tenho procurado não falar de cor da pele por ser um assunto polêmico e do qual muita gente fala e fala muita besteira. Senão vejamos: o governo brasileiro e seus políticos sempre ávidos por implantar babaquices generalizadas e incutir na mente da população suas ideias e ideais imbecis, implantou o tal 'sistema de cotas' para "raças" diferentes. Muito bem. Tem-se aí cotas para os de "raça negra", "índios" e outras "etnias" como eles falam.
E para os brancos, não há cotas? Se o negócio é diferenciar e sair do que manda a Constituição no seu artigo 5º onde diz que "todos são iguais perante a lei", devia-se ter, também, cotas para brancos, amarelos, azuis e sei lá mais quê... ou o raio que os parta!
Acho uma imbecilidade a toda prova esse negócio de separar negros, brancos e outros. Afinal, somos todos de uma mesma raça, gente. Somos HUMANOS!
Nossos governantes e legisladores deveriam ser menos idiotas, menos ridículos. Ao invés de ficar diferenciando as raças, deveriam estar dando condições de melhor estudo para todos. Na minha opinião, essa "diferenciação" acaba causando (aí, sim) racismo! É isso mesmo!
Ao tempo em que se procura catar votos com esse tipo de proposta, por que não se criar mais escolas de qualidade, por que não qualificar os que estarão à frente das turmas de alunos dando aulas com capacidade de conhecimento e de formação?
Estamos em um país rico de quase tudo (até de imbecis) mas pobre de gente que queira, de fato, ver o progresso e a melhoria da qualidadee de vida de seus concidadãos.
Quando assistimos as transmissões das TVs da Câmara e do Senado e vemos políticos preocupados com coisas sem importância, gastando milhões que saem dos nossos bolsos, sem fazer nada de proveitoso, dá nojo, essa é a verdade.
Enquanto um presidente, para satisfazer seu ego pessoal, "contrata" uma copa do mundo de futebol a ser realizada aqui no Brasil, gastando bilhões de reais na construção de estádios que serão transformados em verdadeiros "elefantes brancos", que de nada servirão no futuro próximo, não temos hospitais para tratar com dignidade os cidadãos brasileiros. Muitos ficam espalhados por corredores em macas ou pelo chão, aguardando atendimento. Por que não se gastou esse dinheiro todo, ou parte dele, na construção de hospitais decentes, no pagamento de salários dignos aos profissionais da saúde que, além de mal remunerados, são tratados muito mal pelo Estado e pela população que joga neles a culpa que eles mesmos não tem. Muitas das vezes são até agredidos e baleados (como foi o caso da médica Valéria Lemelle Xavier, que passou por Ipanema, que foi baleada por um paciente (militar) que "achou" que ela era a culpada por não ter conseguido ser atendido, e ela quase morre!)...
Então, por que se preocupar com a cor da pele das pessoas e não aproveitar o tempo que tem para legislar ou governar e não fazem o que prometeram quando candidatos? Diferenciar cor de pele, acho, não é a solução. Um negro, índio, branco ou seja lá que cor da pele se tenha, são capazes da mesma forma. Deem-lhes condições de estudar e progredir na vida e ficarão surpresos com a capacidade de cada um deles.
Colocar a cor da pele como preponderante para se colocar alguém na faculdade é burrice de quem acha isso certo.
Eu tenho amigos de cor de pele diferentes e apenas um ou outro acha que o tal "sistema de cotas" funciona. Na maioria dos casos a pessoa entra para a faculdade só porque tem direito às cotas. Mas quando chega lá não tem condições de enfrentar o banco da escola. Seu ensino primário foi ruim, a formação de segundo grau péssima e quando sentou-se no banco da faculdade viu que não ia dar. E não são casos raros, não! São muitos, mesmo.
Com certeza muitos não concordam comigo, mas, como vivemos em uma democracia (acho que tenho certeza disso) assumo meu direito de discordar (ou concordar) de temas que são abordados no dia-a-adia de nossa comunidade. Isso de separar cor de pele é tão idiota que não dá para aceitar... é como colocar na cabeça das pessoas que querem atingir que isso é normal. Na minha opinião, não é.
O negócio certo seria valorizar quem tem capacidade, sem olhar cor de pele.
Pelo menos é o que eu penso!
É isso aí... (Claudio Vianei)
- Ipanema, 09 de julho de 2013

O voto sendo facultativo, ninguém tem obrigação de votar
São necessárias muitas mudanças para valorizar os honestos!
Já que todo mundo está falando em mudanças, o povo está nas ruas cobrando mudanças, o governo (parece) está se mexendo para tentar atender os recalmos da população que, ao que tudo indica, acordou para cobrar coisas que antes estavam esquecidas pelos governantes.
Fala-se em mudar a Constituição, fala-se em plebiscito, fala-se em mudar o Código Penal (o atual é de 1942!), fala-se em mudanças políticas, mudar as campanhas eleitorais (ano que vem é ano eleitoral) para que os políticos realmente sejam representantes do povo e mais uma série de 'mudanças' por aí.
Uma das coisas urgentes a ser mudada é a forma, na minha opinião, de eleição, de como o cidadão vai votar no futuro. Para início de conversa acho que votamos obrigados. Se você não vota lhe são cortadas uma série de coisas: não consegue empréstimos bancários, não pode participar de concursos públicos e por aí afora... O voto deveria ser facultativo. Vota quem quiser e se quiser.
Qual a vantagem disso? Você participa ou não da eleição. Se estiver motivado, você vai até a urna, se não... Você só votaria consciente e não por gratidão de fulano ou sicrano que lhe fez algum favor. Seria um voto 'limpo'.
Com o voto sendo facultativo, ninguém tem obrigação de votar. O candidato teria que se esforçar e tentar agradar sua base de eleição, teria que trabalhar para conseguir seus votos e se eleger! Outra coisa: as campanhas seriam bem menos custosas, teria menos sujeira nas ruas e se envolveria muito menos dinheiro para conseguir votos. O candidato teria que 'brigar' pelo seu voto no seu distrito e não para uma enorme população como hoje acontece.
Na verdade, os políticos corretos acabariam se sobressaindo e teriam mais vez para mostrar do que são capazes e não como acontece na atualidade.
Nas últimas eleições o número de eleitores que não compareceu nas urnas foi enorme, em torno de mais de vinte por cento. Foi uma forma de protestar? Foi a maneira que encontraram para dizer não ao que se passa na política atual? Foi em repúdio aos políticos desonestos que grassam nas câmaras municipais, estaduais e em Brasília? Talvez tudo isso e mais alguma coisa.
Na minha opinião, se mudasse tudo isso e se deixasse o povo votar porque quer votar e não po0r obrigação a coisa seria diferente. O voto deveria ser facultativo e não obrigatório pois ele é um direito do cidadão e não uma obrigação como querem muitos que essa coisa continue. Isso, sim, seria a democracia plena.
Gente, nós temos o melhor processo eleitoral do mundo. Aqui nossas eleições são totalmente informatizadas (coisa que nem nos EUA, o país mais rico do mundo, tem), os resultados saem imediatamente poucas horas após o encerramento da votação e entrega das urnas lacradas.
Temos o que há de melhor da técnica e da informatização em se falando de eleição e andamos a passo de tartaruga quando falamos de eleição/voto/eleitor. Quase não dá para entender!
Enfim, dos males, talvez o menor, fala-se em mudanças e isso é bom. Só não pode ser como o caso da Venezuela onde convocaram um plebiscito para que Hugo Chaves governasse do jeito que quisesse, implantando uma disfarçada política comunista, que oprime o povo e não lhe dá direitos verdadeiros. Querem impor aqui (ao que parece) algo como aconteceu por lá. Isso nós não podemos deixar acontecer.
só aproveitando a citação do Chaves, uma coisa chamou a atenção de muitos: o ex-presidente venezuelano, partidário do comunismo de Cuba, de Fidel e Raul Castro, ficou doente e foi fazer tratamento de saúde com os médicos cubanos e o que foi que aconteceu? Morreu!
Lula e Dilma ficaram doentes (a mesma doença) e não se aventuraram a fazer o tratamento em Cuba e ficaram por aqui, no Sírio e Libanês (um dos mais caros do país) e estão vivos! Por que dona Dilma insiste em trazer os médicos de lá para cá se ele mesma e nem seu antecessor foram se tratar com os médicos de Fidel e Raul Castro? Fica a pergunta.
Um abraço.
É isso aí. (Claudio Vianei)

- Ipanema, 05 de julho de 2013
Os dez anistiados mais bem pagos com nosso dinheiro
Eles recebem fábulas para não fazerem nada pelo povo!

Recebi e-mail de meu amigo Wires Felix de Souza, do Rio de Janeiro, onde foca o assunto sobre os perdulários e seus protetores que recebem fábulas do nosso suado dinheirinho dos impostos altíssimos que pagamos para que essa corja tenha uma vida de nababos. São pessoas que até hoje ainda não justificaram o por quê dessa grana toda cair em suas mãos todos os meses.
Tudo isso com a conivência de um governo que pouco está se lixando para as necessidades de um povo que sofre com a falta de atendimento na saúde, a educação de baixíssima qualidade (estamos entre os piores do planeta), a segurança, então, nem se fala! Alegam os governantes que não há verbas para investimento!
Como não há? Se há dinheiro para a construção de estádios de futebol (verdadeiros 'elefantes brancos') que depois da copa ficarão e estarão obsoletos e sem serventia alguma, por que não há para cuidar dos hospitais caindo aos pedaços, equipamentos comprados a peso de ouro enferrujando em galpões espalhados por aí como se nosso dinheiro fosse capim e que nasce em qualquer pedaço de chão? O que há é falta de gerência honesta das coisas de um povo que andou como os políticos queriam: como cordeirinhos, que vão para onde lhes é indicado o caminho com o cajado. Só que, ao que parece, o povo acordou e deu sinal de que saiu da letargia em que se encontrava. Foi às ruas, exigiu, cobrou, manifestou-se contra os abusos dos que regem os destinos do nosso país e, com isso, deu uma mexida com 'eles' lá em Brasília.
A "presidenta" (a palavra foi criada por ela por decreto e aprovada por um bando de imbecios e puxa-sacos que desconhecem a língua e aplaudem qualquer besteira que venha lá de cima) teve que, às pressas, convocar seus pares (leia-se ministros e coadjuvantes) para providências urgentes para tentar acalmar a 'fúria' do povo nas ruas.
Temos a maior carga de impostos pagos pelo cidadão. Esse dinheiro (uma fábula) se fosse devidamente empregado nas necessidades do povo, com certeza seríamos um país rico de verdade e não rico "entre aspas"...
Aliás, somos ricos, sim. Ricos porque emprestamos dinheiro (que pegamos emprestado) a outros países e depois a "presidenta" perdoa a dívida como se ela fosse a dona do nosso dinheiro. Se o Brasil pega emprestado, tem que pagar a juros altos no mercado internacional, por que tem que perdoar dívida de quem deve ao país? A dívida interna do Brasil hoje anda na casa do trilhões de reais, assim como a dívida externa. Muita gente apregoa quie a dívida externa foi paga. Não, não foi. Foi pago, sim, o empréstimo que o país tinha com o FMI. Lembram? Pois é, a dívida é bem maior do que pensa e estão enganando o povo com a divulgação de informação não verdadeira.
Por que não divulgam os nomes dos dez mais bem pagos "herois" que até hoje não disseram em que se basearam para lhes dar polpudas somas em dinheiro dos nossos impostos como mindenização e de salários que envergonhariam quem seja honesto?
Levantamentos feitos através do Diário Oficial dão conta de quem são os dez mais nessa "modalidade". Eles foram anistiados (de quê) e dos relatores dos processos um se destaca como o maior beneficiador desses indivíduos: Marcio Gontijo. Ele justifica dizendo que 'muitos processos passam por suas mãos e ele é o "mais antigo" dos que lá estão!
São milhões entregues nas mãos de quem deveria estar trabalhando e não se locupletando do dinheiro do cidadão que trabalha quatro meses do ano para pagar impostos e não vê o retorno esperado em saúde, educação, segurança e outros benefícios de direito.
Enquanto isso o valor do teto do trabalhador aposentado não passa dos míseros R$ 3.600,00.
Não há dúvida: Este país ainda não é um país sério! Precisamos mudar isso.. urgente!
Ray Pinheiro, de Brasília, fez um levantamento de quem são os perdulários, e eu repasso para quwe você tenha conhecimento da imundície que grassa por aí... (Claudio Vianei)
Veja aqui quem são os dez anistiados mais bem pagos do país. São eles: 1) José Carlos da Silva Arouca, recebeu indenização de R$ 2.978.185,15 e tem uma pensão mensal de R$ 15.652,69. O relator foi Márcio Gontijo; 2) Antonieta Vieira dos Santos, recebeu indenização de R$ 2.958.589,08 e tem uma pensão mensal: R$ 15.135,65. Relator foi Sueli Aparecida Bellato; 3) Paulo Cannabrava Filho, recebeu indenização de R$ 2.770.219,00, tem pensão mensal de R$ 15.754,80. O relator foi Márcio Gontijo; 4) Renato Leone Mohor, recebeu indenização de R$ 2.713..540,08 e tem pensão mensal de R$ 15.361,11. Relator: Hegler José Horta Barbosa; 5) Osvaldo Alves, recebeu indenização de R$ 2.672.050,48. Tem pensão mensal de R$ 18.095,15. Relator: Márcio Gontijo; 6) José Caetano Lavorato Alves, recebeu indenização de R$ 2.541.693,65. Sua pensão mensal é de R$ 18.976,31. Relator: Márcio Gontijo; 7) Márcio Kleber Del Rio Chagas do Nascimento, recebeu indenização de R$ 2.238.726,71. Tem pensão mensal de R$ 19.115,17. Relator: Márcio Gontijo; 8 ) José Augusto de Godoy, recebeu indenização de R$ 2.227.120,46. Recebe pensão mensal de R$ 12.454,77. Relator: Sueli Aparecida Bellato; 9) Fernando Pereira Christino, recebeu indenização de R$ 2.178.956,71. A pensão mensal é de R$ 19.115,19. Relator: Márcio Gontijo; 10) Hermano de Deus Nobre Alves, recebeu indenização de R$ 2.160.794,62. Recebe pensão mensal de R$ 14.777,50. Relator: Vanda Davi Fernandes de Oliveira...
As indenizações pagas aos 10 mais da lista dos anistiados políticos somam R$ 25.439.875,94 - quantia suficiente, por exemplo, para instalar 26 mil computadores em escolas públicas ou equipar 31 hospitais com aparelhos de tomografia. As cifras constam da folha de pagamento do Ministério do Planejamento. A identificação dos beneficiários exige demorada busca na coleção do Diário Oficial da União. É claro...
Todas as indenizações foram definidas pela Comissão de Anistia.
O propósito dessa Comissão é tão repugnante que nem quem a criou lhe deu nome coerente. Cobriu-o com a máscara de "anistia" para disfarçar a sujeira, porque sabia que o propódito era beneficiar protegidos com quantias que eles nunca veriam a cor em trabalho honesto num país sério. E o nome dado ficou, ninguém se interessando em mudá-lo e todos sabendo que trata-se de grossa ordinarice. Resta saber quanto cada beneficiado deixou pelo caminho da benesse.
O n° 1 da lista, José Carlos Arouca, recebe, regularmente, todos os meses os R$ 15,6 mil da pensão. Só que ninguém sabe que ele fez pelo Brasil para merecer tanto dinheiro.( ?)
“Eu era filiado ao Partidão”, conta em tom orgulhoso, chamando pelo apelido carinhoso o velho Partido Comunista Brasileiro. “Tinha uma militância política muito intensa junto aos sindicatos”. Em 1999, 20 anos depois da anistia, Arouca se tornou juiz do Tribunal Regional do Trabalho de São Paulo. Aposentou-se em 2005 e, no mesmo ano, foi contemplado com a indenização milionária. Terceiro da lista, Paulo Cannabrava Filho, conseguiu R$ 2,7 milhões, além da pensão de 15.754,80 por mês. Presidente da Associação Brasileira da Propriedade Intelectual dos Jornalistas Profissionais, Cannabrava recebe o equivalente ao salário médio de um editor. Procurado por VEJA.com, exigiu que a pergunta fosse feita por e-mail. Atendida a exigência, respondeu exibindo o seu mérito: “A VEJA digo: nada a declarar. Assunto encerrado”. Os beneficiários das benesses gostariam que o assunto fosse sepultado para sempre. Os brasileiros
que pagam a conta discordam.
O quarto da lista, Renato Leone Mohor, também premiado com R$ 2,7 milhões, teve a reparação equiparada ao salário médio de um chefe de redação: R$ 15,3 mil. Encerrou o telefonema ao saber que conversava com um repórter de VEJA.com. “Este número é confidencial e não vou te atender, amigo”.
Entre os relatores dos processos dessas benesses, o campeão da generosidade com dinheiro alheio é o advogado Márcio Gontijo. Seis dos 10 nomes entraram no ranking graças ao parecer favorável do conselheiro perdulário. “Eu sou o conselheiro mais antigo da Comissão, muitos processos já passaram pelas minhas mãos”, desconversa Gontijo. E quais foram os critérios que ampararam a gastança? “Eu me baseio na lei”, acredito.
Ninguém sabe exatamente a que lei se refere. É isso aí...
(Claudio Vianei, com inserção de trechos de Ray Pinheiro, de Brasília) - Ipanema, 03 de julho de 2013

Uma cena horrível!...
Recentemente presenciamos uma cena HORRÍVEL... Assim que duas madrinhas da noiva chegaram na recepção, elas disseram uma para a outra: "Nossa, está tudo horrível, olha só, quanta flor, quanto coisa feia..." e logicamente, mesmo ouvindo isso, nós ficamos bem quietinhas em nosso canto, mas não me aguentei quando fui acompanhar os noivos nos cumprimentos e as mesmas madrinhas abraçaram a noiva dizendo: "Está tudo lindo e maravilhoso amiga, parabéns!"... Podemos chamar isso de falta de bom senso ou de falsidade? Alô gente, entendam que gostos não são iguais e que os noivos devem fazer o casamento como eles achem bonito, e não para agradar aos outros!
Troca de cartas do ex para a ex e vice versa

O negócio é pensar antes de fazer besteiras. Às vezes, um momento de bobeira põe uma vida inteira a perder. E escrever cartas, então, nem pensar! Para escrever, deve-se pensaar bem antes de fazer tal coisa. Cartas comprometem. Veja só o exemplo que segue...

Carta do ex para a ex:

Querida, escrevo para dizer que vou te deixar. Fui bom marido por 7 anos. As duas últimas semanas foram um inferno. O seu chefe me chamou para dizer que você tinha pedido demissão e isto foi a gota. Na semana passada, nem notou que não assisti ao futebol. Te levei na churrascaria que mais gosta. Chegou em casa, nem comeu e foi dormir depois da novela. Não diz que me ama. Está me enganando ou não me ama mais. P.S. Se quiser me encontrar, desista. A Júlia, aquela sua ‘melhor amiga’ da academia e eu vamos viajar para o nordeste e vamos nos casar!
Ass: Seu Ex-marido.

Carta-resposta da ex para o ex:

Querido ex-marido, nada me fez mais feliz do que ler sua carta. É verdade, ficamos casados por 7 anos, mas dizer que você foi um bom marido é exagero. Vejo a novela para não lhe ouvir resmungar a toda hora. Reparei que não assistiu futebol, mas com certeza, foi porque seu time tinha perdido e você estava de mau humor. A churrascaria deve ser a preferida da amiga Júlia, pois não como carne há dois anos. Fui dormir porque vi que a cueca estava manchada de batom. Rezei para que a empregada não visse. Mas, com tudo isto, ainda o amava e senti que poderíamos resolver os nossos problemas. Assim quando descobri que eu tinha ganhado na Loteria, deixei o meu emprego e comprei dois bilhetes de avião para o Taiti, mas quando cheguei em casa você já tinha ido. Fazer o quê? Tudo acontece por alguma razão. Espero que você tenha a vida que sempre sonhou. O meu advogado me disse que devido à carta que você escreveu, não terá direito a nada. Portanto, se cuida!
P.S. Não sei se lhe disse, mas a Julia, minha ‘melhor amiga’, está grávida do Jorginho, nosso personal. Espero que isto não seja um problema…
Ass: Milionária, Gostosa e Solteira.

Depois disso, fazer o quê?
Não pensou... dançou!... É isso aí.

O papel de cada um

Claro que cada um de nós é dono do seu nariz. Isso, dizem os que se ligam nos ditados populares antigos e muito pouco utilizados nos nossos dias.
A intenção dessa citação é para que cada um pare e pense no que lhe é de direito e o que pode e deve cobrar de quem nos representa no município. Digo município porque é aqui que moramos e aqui elegemos nossos representantes para legislar e também um governante para gerir os destinos de nossa terra.
Dia desses fui abordado por um cidadão, leitor dos meus escritos, a quem não vou identificar, querendo que me colocasse a favor de coisas que eu não concordo. Acho que cada um deve assumir as suas preferências, sejam elas quais forem. Seja na família, com os amigos, com a política, na sociedade de uma forma geral. Mas que se assuma de verdade. Nada de ficar enrustido ou, como dizem em certas situações, dentro do armário!
Mas, voltando à abordagem. O cidadão ao me parar, veio com uma proposta indecorosa e imbecil para mim. Só que quem me conhece sabe que não me presto a certos tipos de coisas. Minha vontade foi de denunciá-lo à Polícia, coisa que eu disse a ele que faria. Pediu que não fizesse isso pois, se estava me propondo aquilo é porque um amigo dele tinha pedido que chegasse a mim e fizesse a tal proposta... no mínimo indecorosa.
Só para aproveitar a ocasião quero deixar claro que quando boto minha cara na reta não é para depois estar trocando de lado como se troca de camisa, não. É mais fácil eu ficar de fora do que mudar de opinião.
Ah, tem mais, só para você "meu chapa": o que me ofereceu fica com ele. Quem sabe você, que serviu de pau-mandado, se sirva melhor do que oferecer para um outro que talvez lhe diga a mesma coisa. Não acredito muito, não, mas, guarda para você, cara!
Mas tome cuidado. Pessoas como as que você disse que "mandaram" a mim, podem fazer coisas piores com você, viu!?
Infelizmente para você e quem mandou, sou carta fora desse baralho. Com certeza!
É isso aí... (Claudio Vianei)

Pelé para Lula:
Me larga, pô. Seu bafo incomoda...


Hoje eu não fiz...

Um homem chegou em casa do trabalho e encontrou seus 3 filhos do lado de fora, ainda de pijama, brincando na lama, com caixas de comida vazias e embalagens espalhadas pelo jardim. A porta do carro de sua esposa estava aberta, como também a porta de entrada da casa. Não havia nenhum sinal do cachorro. Entrando pela porta, ele encontrou uma confusão ainda maior. O abajur estava derrubado, o tapete encostado contra uma parede, na sala da frente a TV ligada em volume altíssimo no canal de desenhos animados e a sala de jantar repleta de brinquedos jogados e várias roupas espalhadas. Na cozinha, a pia cheia de louça, restos do café da manhã derramados em cima do balcão, a porta da geladeira aberta e a comida do cachorro espalhada pelo chão. Um vidro quebrado debaixo da mesa, e um pequeno monte de areia perto da porta traseira. Ele rapidamente subiu as escadas, pisando em brinquedos e mais pilhas de roupas, procurando sua esposa.
Estava preocupado que ela poderia estar doente, ou que algo sério tivesse acontecido. Foi recebido com um pequeno rio de água que fazia seu caminho pela porta do banheiro afora. Quando ele olhou para dentro, encontrou toalhas molhadas, espuma de sabão e mais brinquedos espalhados pelo chão. Kilômetros de papel higiênico desenrolado e pasta de dente melecada no espelho e pelas paredes.
Ele correu para o quarto, onde encontrou sua mulher ainda deitada na cama, de pijama, lendo um livro. Ela olhou para ele, sorriu e perguntou como havia sido seu dia. Ele olhou para ela confuso e perguntou: 'O que aconteceu aqui hoje?' Ela novamente sorriu e respondeu: 'Você sabe como todos os dias quando você chega em casa do trabalho você me pergunta o que é que eu fico fazendo o dia todo?
''Sim", foi sua resposta incrédula ..
Ela respondeu: 'Então, hoje eu não fiz."
(Autoria Desconhecida) É isso aí!...

Evangelho estereotipado...
Há de tudo nas 'pregações' por esse Brasil afora!

Jargões evangélicos...

Faço dessas palavras as minhas, também!

"É incrível como o evangelho hoje em dia anda estereotipado e moldado nos padrões do marketing religioso. Parece que a maioria das preleções que ouvimos atende a determinados formatos para suprir a demanda de certos "nichos" de evangélicos como se fosse um verdadeiro mercado segmentado.
Há pregadores para todos os gostos; os "avivalistas" esses gritam tanto que passam a impressão de que engoliram um megafone super moderno, os megalodramáticos que pensam estar em um documentário sobre a miséria humana, os band news que fornecem a notícia em tempo real e tem também os "standap comedy" esses acham que o altar é um palco de show de calouros e por aí vai...
Mas o que mais me decepciona, são os jargões clichês bem decorados que dá ao sermão um aspecto de discurso mal plagiado, aliás, haja jargões para poucos minutos de um sermão elegante: "Deus vai te colocar no pódio", "Deus vai te tirar da calda e te colocar por cabeça", "Deus vai te exaltar!", "Diga para o teu irmão: Me respeite pois amanhã serei teu chefe"! E tem ainda os famigerados; "receba, receba, receeeeeeebaaaa!!!!
Dá vontade perguntar: "Que tanto receba é esse sô? Receber o quê meu irmão????
Tenho saudades do tempo em que os mensageiros se levantavam para pregar. Mas eu disse "pregar"... Pregar sobre a carência eterna do homem e a eficácia da obra do calvário, pregar como sumos sacerdotes que nunca deixam faltar o sangue de cordeiro imaculado na bacia, pregar sobre o perdão, sobre a expiação da culpa, sobre a certeza de vida eterna. Pregar sobre o amor, sobre a nova vida em Cristo e sobre a necessidade de cultivar uma santa conduta.
Pregadores de jargões, pelo amor de Deus; voltem para o tema do calvário! Preguem sobre o verbo, mostrem Cristo ao povo. Falem sobre o Cristo da mangedoura, o Cristo humilde e manso que entrou em Jerusalém abnegado e resoluto cavalgando sobre os lombos de um jumentinho. Falem sobre o Cristo da carpintaria de Nazaré, o Cristo que ofereceu perdão à mulher adúltera, o Cristo que passou grude de lama e saliva nos olhos do cego, o Cristo que exclamou aos discípulos de João: " E aos pobres se prega o evangelho"... O Cristo que disse à viúva de Naím: "Não chores", o Cristo que elogiou a insignificante oferta da viúva pobre, o Cristo que "decepcionava constantemente aos fariseus"... Preguem á Cristo antes que os monumentos da fé que se ergueram no passado em forma de templos, Placas e denominações se tornem em velhas ruínas, sem brilho, sem vida, sem animação e então cumprir-se- a o que aquele Cristo disse um dia:
"Se esses se calarem; logo as pedras clamarão'! (Autor: Jandeir Magalhães)"
É isso aí... (Claudio Vianei)

...

 

Não espere que nenhuma princesa ou príncipe te faça feliz

O conteúdo desta página requer uma versão mais recente do Adobe Flash Player.

Obter Adobe Flash player

 

Jornal DeBolso Online

Envie seu e-mail para debolso@msn.com e receberá a edição semanal do Jornal DeBolso Online em sua caixa postal. E você não paga nada por isso. Saiba o que está acontecendo em Ipanema já!!!

Claudio Vianei
É jornalista, noticiarista e radialista, em Ipanema, Minas Gerais, e escreve no site Jornal DeBolso.Com. A coluna "É isso aí" é antiga e ainda comanda os blogs do Jornal DeBolso e um todo pessoal onde opina, comenta e critica, dando espaço para seus seguidores se pronunciarem. O endereço é claudiovianei.blogspot.com
entre e participe.

Está lá no Facebook...
 
 
Taxímetros/Ipanema...

TAXÍMETROS PARA MORALIZAR
Hoje, dia 02 de novembro de 2013, como é feriado e final de semana, resolvi dar uma andada pela cidade. Peguei minha bicicleta, calibrei os pneus e saí. Parei aqui e ali. Conversei com muita gente que circulava pelas cidade. O cara que vende mamão em um reboque adaptado à sua caminhonete veio me oferecer sua mercadoria anunciando "paga só R$ 5 e leva dois dos grandões..." mas eu não comprei... Mais adiante encontro com o Luiz Henrique Fonseca e a esposa Celimar que, como sempre, não me deixam andar muito, contando as últimas da dupla. Resolvi que daria um "pulo" até à Lotérica para fazer um jogo da megasena, só que chegando lá um aviso anunciava que os jogos foram realizados até ontem... e eu "dancei"... não fiz meu joguinho. Não foi dessa vez que minha conta bancária vai ficar gordinha. Mas um dia eu acerto uma. É só aguardar... e jogar!
Saí dali passei pela Rua Artur Bernardes, cheguei na Praça Joaquim de Abreu (como está bonita!) voltei e, pedalando, entrei na Av. Sete de Setembro. Passei pela Praça Genuino N. Magalhães, segui a avenida principal da cidade e acabei parando na Praça Coronel Calhau, também conhecida como Praça da Paz, e encontrei ali o Gerson Abdala, o Fernando e o Manoel Zueira. O assunto era religião e igrejas... O Fernando saiu-se com essa: "Vianei, Ipanema não está mais precisando de médicos. As pessoas agora estão sendo curadas sem remédio, sem consulta, sem nada disso".
Pensei que ele estava falando de curandeiros, ervateiros, rezadeiras, benzedeiras e coisas assim. Mas não, Pedi explicações de como alguém pode ser curado de doenças graves sem ir ao médico e se medicar e ele, fazendo uma pausa para chamar a atenção, disse: "Você já viu quantas igrejas Ipanema tem atualmente? São muitas, mais de cinquenta -disse ele- e em todas elas os que estão lá na frente, dizem que ninguém precisa procurar médicos, pois a igreja cura qualquer doença... O negócio é falar com o prefeito para dispensar os médicos e enfermeiros da prefeitura pois, assim, o governo vai economizar. Já que as igrejas curam, pra que médicos? Mas, tem um detalhe, tem que deixar dez por cento lá para os pastores!" - desabafou.
O Abdala concordou e o Manoel Zueira disse que foi curado sem ir ao médico. Disse que sua perna ficou "bamba" e teve que ser carregado pela mulher dentro de casa. Aí, ele rezou pedindo a proteção divina e foi curado. No dia seguinte contratou uma viagem de mais de hum mil quilômetros, foi e voltou sem sentir nada mais.
Quando o Zueira falou em viagem, ele que é taxista, me veio à cabeça uma sugestão: por que não colocar taxímetros nos táxis de Ipanema? Hoje os aparelhos são digitais e emitem até notinha impressa para o cliente... Muita gente reclama que vários dos profissionais do táxi cobram cada um de acordo com "a cara do freguês" e não pelo trajeto...
Se a Câmara de vereadores tem alguém que se interesse pelo problema, acho que é a hora de se tomar uma providência a respeito. É hora de se começar a moralizar esse tipo de serviço, uma vez que Ipanema cresce a olhos vistos, o comércio já não é o mesmo de cinco anos passados, indústrias estão se espalhando pelo município, falta transporte urbano para ligar os vários bairros que já existem na cidade e os táxis (que até são muitos pela população que Ipanema tem) não tem suprido essa necessidade. Na hora em que mais se precisa não se encontra nem pra "quebrar um galho"...
Depois disso achei melhor voltar para casa, senão a conversa poderia render muito mais e os ânimos se exaltarem, o que eu não queria... Fui! 
PS: As ilustrações mostram alguns modelos de taxímetros que são usados em várias cidades, inclusive Caratinga, vizinha de Ipanema.
(Claudio Vianei - 02nov2013)

Romélya e Márcio
"Hoje quero agradecer e tentar expressar o quão estou agradecida, lisonjeada e feliz pela demonstração de carinho, amizade e acolhimento pelos amigos de Ipanema. Tanta preocupação com os detalhes do meu casamento, chá de lingerie que nem eu sabia que existia...afinal é normal né... nunca me casei... hahaha. Por isso externo meu agradecimentos a todos. Não citarei nomes, para não correr o risco de me esquecer de ninguém e ser injusta... Que bom seria se todos vocês pudessem ver o meu coração, para constatarem a imensa felicidade que sinto. Obrigada por fazerem parte disso!"
(Romélya Rocha - no Faceboock)
Magaly no Face...
Uns poucos embolsando milhões com a Copa e centenas trabalhando como voluntários. Quem descobrir onde está "escondida esta lógica", me explique POR FAVOR!!!!!!!! Eu só queria entender! (Magaly Reinaldo - no Faceboock)
Falsidade? Bom senso?
"Recentemente presenciamos uma cena HORRÍVEL... Assim que duas madrinhas da noiva chegaram na recepção, elas disseram uma para a outra: "Nossa, está tudo horrível, olha só, quanta flor, quanto coisa feia..." e logicamente, mesmo ouvindo isso, nós ficamos bem quietinhas em nosso canto, mas não me aguentei quando fui acompanhar os noivos nos cumprimentos e as mesmas madrinhas abraçaram a noiva dizendo: "Está tudo lindo e maravilhoso amiga, parabéns!"... Podemos chamar isso de falta de bom senso ou de falsidade? Alô gente, entendam que gostos não são iguais e que os noivos devem fazer o casamento como eles achem bonito, e não para agradar aos outros!"
(No Faceboock)
Magaly no Face...
Visita do Papa Francisco ao Brasil
custará R$ 118 milhões

Só o governo federal desembolsará R$ 62 milhões, sendo R$ 30 milhões com ações de segurança e defesa; Estado e município do Rio darão R$ 28 milhões cada
Os governos federal, estadual e a prefeitura do Rio terão um gasto milionário com a visita do Papa Francisco, durante a 26ª Jornada Mundial da Juventude, que acontecerá de 23 a 28 de julho, no Rio. Somados, União, estado e município gastarão R$ 118 milhões durante a passagem do Papa pelo país. Só o governo federal desembolsará R$ 62 milhões, sendo R$ 30 milhões com ações de segurança e defesa. Estado e município darão R$ 28 milhões cada.
Vida de fome!
Enquanto a seca e o descaso público para com a população carente ganham terreno, a mídia e as obras faraônicas iludem o povo.
Mas a verdade grita mais forte!
Depois de arrecadar milhões para programas que não resolvem nada como o "fome zero" e "bolsa familia", o governo federal ainda tem coragem de comemorar o fim da miséria no Brasil, considerando que uma renda per capita de 70 reais é o suficiente para alguém sobreviver.
Mas ainda há muitos que acreditam
na propaganda do governo
O café pendente...
Isso não aconteceu aqui no Brasil. Foi na Europa, tá?
"Entramos em um pequeno café, pedimos e nos sentamos a uma mesa. Logo entraram duas pessoas:
- Cinco cafés. Dois são para nós e três "pendentes".
Pagaram os cinco cafés, bebem seus dois e vão embora.
Pergunto:
- O que são esses “cafés pendentes”?
E me dizem:
- Espera e vai ver.
Logo vêm outras pessoas. Duas garotas pedem dois cafés - pagam normalmente. Depois de um tempo, vêm três advogados e pedem sete cafés:
- Três são para nós, e quatro “pendentes”.
Pagam por sete, tomam seus três e vão embora. Depois um rapaz pede dois cafés, bebe só um, mas paga pelos dois. Estamos sentados, conversamos e olhamos, através da porta aberta, a praça iluminada pelo sol em frente à cafeteria. De repente, aparece na porta, um homem com roupas baratas e pergunta em voz baixa:
- Vocês têm algum "café pendente"?
Esse tipo de caridade, apareceu pela primeira vez em Nápoles. As pessoas pagam antecipadamente o café a alguém que não pode permitir-se ao luxo de uma xícara de café quente. Deixavam também nos estabelecimentos, não só o café, mas também comida. Esse costume ultrapassou as fronteiras da Itália e se difundiu em muitas cidades de todo o mundo."
...
A cultura dessas pessoas faz com que partilhem um pouco do que podem dispor para quem não tem as mesmas condições. Um ato simples e bonito que bem poderia ser seguido por muitos que podem e nada fazem em prol de seus semelhantes. É isso aí...(CV)
Enquanto o brasileiro não tomar consciência de suas responsabilidades, seus direitos e obrigações, vamos ver isso aí com muita constância... infelizmente! Vivendo de migalhas, oferendas humilhantes para um povo ignorante, pois é isso que eles querem: quanto mais imbecis e ignorantes estiverem sob seus domínios mais votos irão conseguir e encher seus bolsos com nosso dinheiro.
ACORDA POVO!
Você sabia?
ESTUDANTES DE MEDICINA DA
UFSCAR ESTÃO EM GREVE
HÁ MAIS DE DOIS MESES!


"Após 8 anos de curso, 2 turmas formadas, 2 paralisações, algumas desistências e muitas dificuldades chegamos à uma situação em que o curso tornou-se impraticável. Problemas básicos como falta de professores, laboratórios, oficinas e estágios conseguiram parar um curso de Medicina do primeiro ao quarto ano simplesmente porque não havia mais curso a fazer. Foi neste momento que muitos alunos, diante de uma educação médica inexistente, viram o sonho de se tornar médicos de qualidade, conforme o propósito do curso, tornar-se pó."
"Mas de quem é a culpa destes problemas? Quando dizemos que o MEC está enterrando os nossos sonhos, não queremos dizer que sua participação é ativa neste processo. A mensagem que queremos passar é a de que, por incompetência de diversos atores responsáveis, o curso está sendo enterrado – e o ministério da educação nada faz para evitar isso. Além disso, ainda nos toma como exemplo e divulga que vai abrir cerca de 6000 vagas pelo Brasil inteiro baseadas em nosso modelo. É tragédia anunciada em imprensa nacional.

O curso de Medicina da UFSCar pede socorro. Por enquanto, os alunos estão conseguindo juntar o pó nos quais os nossos sonhos se transformam. Ano após ano, vemos os cacos quebrados serem colocados juntos novamente, de forma frágil, para quebrar em pedaços de novo. Medidas provisórias não resolvem o problema. Apesar das turmas formadas terem mostrado competência e conseguido aprovação nas provas de residência, não podemos nos acomodar. Vamos construir um curso sólido, de qualidade, que realmente nos dê orgulho de dizer que fazemos Medicina UFSCar."
- (Texto de Davi Gomes dos Anjos, estudante de Medicina em greve).
A cultura do estupro:
mesmo na sala de aula?
Fiquei surpreso ao saber que a minha prima de 16 anos, sempre muito calma e tranquila, tinha sido suspensa da escola. O motivo: em uma discussão em sala de aula sobre o estupro que ocorreu contra uma turista americana dentro de uma van, no Rio de Janeiro, ela se levantou contra o professor.
Depois de ouvir piadas do professor como "Ela era pesada! Suportou três bandidos!", Argumentando que a investigação deve considerar as roupas que a vítima usava para ver se "ela não estava pedindo por isso"a minha prima disse que eram idiotas, comentários sexistas.
E foi, então, convidada a sair da sala de aula.
O comentário infeliz do professor na sala de aula só pode ser preocupante devido ao fato de que ele está formando o conhecimento de centenas de mentes jovens.
No entanto, a maior preocupação é saber que a sua visão não é isolado, mas representante de uma forma de pensar que é muito arraigada na nossa sociedade em geral: que sugerem que a vítima esteja parcial ou totalmente a culpa pelo estupro.
(via ActionAid)
...